Autoeuropa estuda criação de centro logístico através de Sines
A Autoeuropa está a estudar um projeto marítimo que envolve a criação de um centro logístico intercontinental através do Porto de Sines.

A intenção é reforçar o peso do transporte marítimo nas expedições de peças e de automóveis, que atualmente apenas representa 0,13% do transporte de componentes.

Portugal poderá servir como plataforma entre a Europa, a China e o continente americano.

A fábrica da Autoeuropa já utiliza o Porto de Setúbal para fazer exportações, tendo começado a enviar carros diretamente para a China no final de 2011. Mas Sines, por ser um porto de águas profundas, traria vantagens acrescidas, pela possibilidade de utilizar navios de maior dimensão.

Em declarações ao SOL, o diretor-geral da fábrica, António de Melo Pires, sublinha que uma das principais vantagens desta estratégia seria aproveitar a expansão do canal do Panamá, que deverá estar concluída em 2014. Dessa forma serão captados os barcos de grande dimensão que transportam automóveis de fábricas da Volkswagen no continente americano.

Caso essas embarcações chegassem à Europa através de Sines, Portugal e a Autoeuropa poderiam ser responsáveis pelo que se designa de desconsolidação dessa carga – retirada de mercadorias de contentores, para depois enviá-las para outros destinos na Europa. O mesmo poderia acontecer com componentes vindos da China, por exemplo.

A linha de mercadorias que vai ligar Sines a Madrid também poderia servir de ligação à Europa, mas neste caso o transporte não depende apenas do caminho-de-ferro.

Embora haja cerca de 600 trabalhadores a mais face ao volume de produção actual, António de Melo Pires garantiu que não há interesse em fazer despedimentos, já que os funcionários vão ser necessários quando houver sinais de recuperação económica.

NL APP

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA