MSC Preziosa sai de estaleiro e tem Lisboa como primeiro porto de escala
Tal como aconteceu em 2012 com o MSC Divina, também o MSC Preziosa, o quarto e o mais recente elemento da emblemática classe Fantasia da MSC Cruzeiros, e o 13º navio da frota da companhia, sai dos estaleiros da STX Europe, em Saint Nazaire, na foz do rio Loire e próximo de Nantes, na Bretanha, tem Lisboa como primeiro porto de escala, dia 16 de março.

Naquela que será a sua viagem inaugural, o MSC Preziosa faz a primeira escala em Lisboa, zarpando de seguida para Cádis, Casablanca, Valencia, Marselha e Génova onde será batizado, no próximo dia 23 de março. Este navio é o quarto da classe a escolher o porto da capital portuguesa para a sua viagem inaugural, à semelhança do que aconteceu com os seus “irmãos”, MSC Fantasia, MSC Splendida e MSC Divina.

Como forma de agradecer a preferência da MSC Cruises na escolha do porto de Lisboa como destino das viagens inaugurais dos seus novos navios, a autoridade portuária receberá o navio com rebocadores da empresa Svitzer, que o escoltarão desde a entrada no Estuário no Tejo até ao Terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia onde ficará acostado, e os passageiros com a atuação da tuna académica da Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa. O comandante será presenteado com a placa comemorativa do evento.

Com 333 metros de comprimento, 38 metros de largura, 140 mil toneladas de arqueação bruta e 1 751 camarotes, o MSC Preziosa tem capacidade para 4 345 passageiros que têm à sua disposição 27 mil m2 de espaço público com 4 restaurantes principais, 2 restaurantes de especialidade, 21 bares, um casino, quatro piscinas, incluindo uma “piscina infinita”, 12 jacuzzis, uma pista de bowling, um ginásio e o MSC Aurea Spa. Os 18 decks do navio têm o nome de pedras preciosas, e 14 são para passageiros.

O MSC Preziosa, um investimento de 550 milhões de euros, conta, também, com o conceito MSC Yatch Club, uma área restrita com serviços exclusivos de mordomo.
O MSC Preziosa apresenta algumas novidades em comparação com o seu irmão MSC Divina, nomeadamente ao nível da gastronomia, entretenimento e bem-estar, como os dois primeiros restaurantes da rede Eataly a bordo; um menu de tratamentos de beleza com propriedades de minerais preciosos no MSC Aurea SPA; o tobogã Vertigo, com 120 metros, o maior alguma vez instalado num navio de cruzeiros; e o Castle Aqua Park, um percurso de plataformas elevadas com sprays, repuxos, fontes, pistolas de água e válvulas, todos eles concebidos para chapinhar, encharcar e encantar.

O MSC Preziosa, tão recente e ao mesmo tempo com uma longa história, foi encomendado por um membro da família Kadafi que o batizou de Phoenicia, e o qual seria equipado com um tanque para seis tubarões. Contudo, com a revolução líbia em 2011, e já com 45% da sua construção completa, a MSC Cruises adquiriu o navio em 2012 e rebatizou-o de MSC Preziosa, por se tratar da maior joia do armador italiano.

NL APP

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA