Movimentação nos portos nacionais caiu 6,3% no terceiro trimestre
De acordo com dados revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o movimento de mercadorias nos portos nacionais diminuiu 6,3% no terceiro trimestre, sendo a queda ainda mais acentuada em setembro, com uma descida de 18,5% no volume de carga movimentada, devido ao efeito da greve dos estivadores.
Ainda de acordo com os dados do INE, a redução de tráfego de 8,4% no terceiro trimestre, face ao período homólogo, refletiu-se na variação negativa da dimensão das embarcações entradas (-3,7%) e no movimento de cargas (-6,3%), que atingiu 16,8 milhões de toneladas. Em setembro, a diminuição de tráfego intensificou-se, com um decréscimo de 20,5% nas embarcações entradas e de 18,5% no volume de carga movimentada, face ao mês homólogo.
As cargas dos portos em greve têm sido escoadas essencialmente por Sines e Leixões. No terceiro trimestre o porto leixonense recuperou da variação homóloga negativa verificada no segundo trimestre, aumentando em 5% o volume de mercadorias movimentadas. Leixões destacou-se também no tráfego internacional, com um acréscimo de 14,2%.
Já Sines manteve uma variação homóloga negativa (-6,5%) no terceiro trimestre, apesar do bom desempenho de junho, com uma subida de 12%.
O movimento de mercadorias caiu significativamente em Lisboa (-12,2%) e em Setúbal (-16,6%) e teve resultados ligeiramente negativos em Aveiro e Figueira da Foz (-1,6 e -3,5%, respectivamente, face ao trimestre homólogo).
Nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores, os portos de mercadorias registaram também variações homólogas expressivas no terceiro trimestre, com -19,2% no Caniçal e 21,1% em Ponta Delgada).
O tráfego internacional de mercadorias nos portos portugueses desceu 4% no terceiro trimestre, menos do que o movimento nacional de cargas (-15,3%).
A excepção foi o porto de Lisboa, que apresentou um aumento homólogo de 10,8%.

Cargonews Online 27-11-12

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA