Carga movimentada por portos do continente aumentou 2,29% em Outubro
A carga movimentada nos portos nacionais registou um aumento de 2,29% em outubro, face ao período homólogo de 2011, referiu hoje o Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM).
Dados disponibilizados pelo IPTM e referentes aos portos de Aveiro, Figueira da Foz, Leixões, Lisboa, Setúbal, Sines e Viana do Castelo mostram que só se verificaram quebras homólogas em Lisboa (-29,33%), Setúbal (-33,31%) e Viana do Castelo (-27,37%) durante o mês de outubro.
Porém, em termos do peso dos portos no panorama do continente, Sines e Leixões, os dois portos onde os sindicatos assinaram o acordo com o Governo, viram a sua relevância subir 7,68 e 1,88 pontos, respetivamente, representando agora 71,8% do total da carga movimentada.
Enquanto a Figueira da Foz também assistiu a um ligeiro aumento de 0,28 pontos, todos os outros portos listados viram o seu peso cair.
No mês anterior, a carga movimentada nos portos portugueses tinha caído 10% sobre o homólogo de 2011, anunciou na semana passada o IPTM.
Os empresários têm vindo a pedir ao Governo que avance com uma requisição civil devido aos prejuízos que estão a ter por não conseguirem escoar os seus produtos através dos portos de Lisboa e de Setúbal.
Na semana passada, o IPTM referia, como hoje, que "a greve não teve impacto no total de carga movimentada nos portos portugueses", porque neste mês a redução teria sido de 0,76%, contra a quebra de 10% em setembro, números agora atualizados e confirmados para um aumento de 2,29%.
Desde 17 de setembro que os trabalhadores portuários iniciaram uma onda de greves, depois de o Governo ter aprovado a 13 de setembro uma proposta de lei relativa ao regime do trabalho portuário, uma semana depois de ter chegado a acordo com alguns sindicatos, afetos à UGT, e operadores portuários, com o objetivo de aumentar a competitividade dos portos nacionais.


NL APP

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA