Estudo mostra que atividade dos portos representa 5,5% do PIB nacional
As oportunidades e as parcerias no âmbito do Mercado do Mar em Portugal e França foram tema central de um Seminário promovido pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa (CCILF) esta terça-feira, na cidade do Porto.
O Seminário centrou baterias, na parte da manhã, no tema da atividade portuária, transporte e logística marítima, com intervenientes vários do setor nacional mas também de França. A CARGO esteve presente e destaca o que de mais importante foi dito neste Seminário.
Um dos pontos altos da manhã foi a apresentação de um estudo sobre "Os portos e a competitividade da economia portuguesa", levada a cabo por Francisco Mendes Palma, diretor da Espírito Santo Research. O estudo mostra que a atividade dos cinco grandes portos nacionais representa "cerca de 5,5%" do PIB nacional, dado "bastante significativo" na opinião de Francisco Palma, nomeadamente para "sabermos o peso e o valor das medidas que sejam feitas para a dinâmica desta atividade".
"A dinâmica das exportações nacionais arrasta consigo uma dinâmica do transporte marítimo dados os destinos fora da União Europeia", salientou o diretor da Espírito Santo Research, acrescentando que "é necessária uma articulação dos portos com os intervenientes logísticos e de transporte para o desenvolvimento de soluções integradas".
"Portugal emerge como hub para o mercado atlântico, com uma rede de estradas muito desenvolvida e uma rede ferroviária de carga com uma cadeia logística de suporte”, realçou ainda Francisco Mendes Palma, vincando o papel do porto de Sines enquanto “porta atlântica da Europa”, nomeadamente pela capacidade de receber grandes navios e pelo enorme espaço de crescimento”.
Quem também esteve neste seminário foi João Carvalho, presidente do IPTM, o qual aproveitou o evento para enumerar os campos em que o Governo português está a agir no âmbito do setor portuário. “Um dos itens em que estamos a trabalhar tem a ver com a legislação no que concerne às concessões. Estamos também a trabalhar na redução da tarifas das administrações portuárias”, referiu o presidente do IPTM, antes de abordar o tema quente do momento no setor: o novo regime do trabalho portuário. “Outro ponto onde temos estado a trabalhar é o do trabalho portuário, que não é um tema fácil. O Governo aprovou um novo regime do trabalho portuário, que é muito semelhante ao existente em Espanha, o qual foi acordado com alguns sindicatos”.
Mais detalhes sobre o estudo relativo ao impacto da atividade dos portos na economia nacional e restantes intervenções deste Seminário no próximo número da CARGO.

Cargonews 03.10.12

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA