Cinco portos parados, o de Lisboa tem mais impacto
O presidente do Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM) admitiu hoje que os portos de Aveiro, Lisboa, Figueira da Foz, Setúbal e Sines estão parados
devido à greve, sendo o de Lisboa o que mais impacto tem.
“Os portos que estão parados são os representados pelos sindicatos: Aveiro, Lisboa, Figueira da Foz, Setúbal, provavelmente Sines”, disse João Carvalho.
Segundo o responsável, só no porto de Lisboa, já fora desviado da rota cinco navios, enquanto outros quatro estão à espera.
O presidente do IPTM acrescentou ainda que em Setúbal e em Sines não houve navios desviados, já que as operações foram antecipadas para o período anterior à greve.
“Os importadores e os exportadores prepararam-se, juntamente com os operadores portuários e penso que também com a anuência dos sindicatos para que os navios fossem despachados mais rapidamente, daí que o impacto [da greve] é relativo”, explicou João Carvalho.
De acordo com a mesma fonte, “o impacto do porto de Lisboa é significativo”, mas a paralisação é um direito dos trabalhadores e “serve para alguns sindicatos demonstrarem que estão descontentes com o diploma” de alterações legislativas, proposto pelo Governo.
A greve dos trabalhadores de vários portos portugueses começou à meia-noite de terça-feira contra a revisão do regime jurídico do trabalho portuário e vai prolongar-se até às 08:00 de quarta-feira.
O vice-presidente da Confederação dos Sindicatos Marítimos e Portuários (Fesmarpor), Vítor Dias, explicou à Lusa que, atualmente, os trabalhadores portuários executam todo o tipo de tarefas até ao momento em que a carga embarca no navio. Com a reforma, o Governo quer que os trabalhadores portuários façam apenas o trabalho a bordo.
“O que o Governo pretende é deixar sem ocupação cerca de 50 por cento dos trabalhadores portuários e ir buscar trabalhadores sem qualquer tipo de qualificação” para desempenhar as restantes tarefas, acrescentou o dirigente sindical.
A Fesmarpor representa 600 dos 800 trabalhadores portuários portugueses.

Jornal da Madeira.pt

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA