Porto do Funchal lidera em escalas e passageiros no primeiro semestre deste ano
O Porto do Funchal cresceu no primeiro semestre deste ano 5% no movimento de passageiros e 3% nas escalas, tendo registado 164 escalas, mais cinco que no mesmo período do ano anterior e 303.615 passageiros, mais 14.300 que nos  primeiros seis meses de 2011.

A Presidente da APRAM, Administração dos Portos da Madeira, Alexandra  Mendonça salienta que estes números confirmam a liderança nacional do Porto do Funchal, tanto a nível de escalas como de passageiros.

Acrescenta que estes números são também resultado de "um grande esforço da
APRAM, no sentido de divulgar e promover o Porto do Funchal, com uma
estratégia comercial mais agressiva, pois é fundamental para que nós
continuemos no top dos destinos de cruzeiros europeus".

Para os próximos seis meses e de acordo com as reservas efetuadas pelas
companhias, prevê-se que tenham lugar no Porto do Funchal 180 escalas,
estimando-se um movimento na ordem dos 320 mil passageiros.

Em termos de novas escalas, o Porto do Funchal deverá receber até dezembro
quatro escalas inaugurais: o Costa Deliziosa, em setembro, o Norweegian Sun,
em outubro e o MSC Divina e o Costa Fascinosa, ambos em novembro.

"No final deste ano deverão ter passado pelo Porto do Funchal mais de
600.000 turistas, o que atesta bem a importância que o setor dos cruzeiros
tem para a economia regional, pois estes passageiros compram diversos
produtos como excursões, passeios de barco, sobretudo, para verem golfinhos
e baleias, os tradicionais vinhos, bordados e outro tipo de artesanato,
além do comércio normal. Há mesmo algumas lojas que tentam atrair os
turistas de
cruzeiro e outras que fazem campanhas viradas para os tripulantes",
sublinha Alexandra Mendonça.

A Presidente da APRAM reconhece que o Governo Regional da Madeira "cedo
percebeu a importância deste setor e por isso, concertaram-se estratégias,
de modo a aproveitar este mercado que tem vindo a expandir-se mundialmente
e na Europa, como confirma o estudo do European Cruise Council.

O estudo do European Cruise Council, - um organismo que representa as
principais empresas de cruzeiro que operam na Europa - divulgado no
passado dia 25 de junho, em Bruxelas refere que "o impacto económico da
indústria dos cruzeiros na economia europeia foi de 36,7 mil
milhões de euros, o que representa um crescimento de 4% relativamente a
2010, ano em que o impacto económico se situou nos 35,2 mil milhões.

Quanto ao impacto direto situou-se nos 15 mil milhões de euros, mais 3,4%
que em 2010. São crescimentos significativos, mais ainda se
compararmos com o impacto total da indústria em 2006 que situava-se nos
23,9 mil milhões de euros, o que representa um aumento de 54% nos últimos
cinco anos.

O mesmo estudo aponta que o número de passageiros europeus cresceu 77%, de
3,4 milhões, em 2006 para 6 milhões, em 2911 e todas as previsões apontam
que o mercado tem ainda muitas potencialidades a explorar.

Nesse sentido, Alexandra Mendonça alerta que "é preciso continuar a
trabalhar, a promoção é essencial." E deixa um apelo: " É urgente que o
Turismo de Portugal inclua este mercado
nas suas campanhas. O país tem excelentes condições para o turismo de
cruzeiros, é preciso rentabilizá-las já."

E o sucesso dos outros portos nacionais não é um problema para a Presidente
da APRAM que afirma: "um destino de cruzeiros não vive sozinho é a rota que
atrai o turista. Por isso, nós, apesar de sermos o primeiro porto nacional,
só temos a lucrar com a criação de novas rotas que incluam mais portos
portugueses. Por exemplo, a nossa parceria com Canárias, através da marca
Cruise in the Atlantic Island, esta rota interessa tanto à Madeira como aos
portos de Canárias. Oferecemos ao passageiro um périplo pelas ilhas
atlânticas, com atrações que se complementam entre si."
 
NL APP

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA