Concluída a obra de duplicação do Terminal XXI de Sines
A ampliação do Terminal de Contentores do Porto de Sines (Terminal XXI), em que a concessionária PSA Sines investiu cerca de 78 milhões de euros, está concluída, aumentando de 500 mil para 1 milhão de TEU a capacidade da infraestrutura.
Quem esteve em Sines para a cerimónia de conclusão da obra foi o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, que enalteceu o trabalho da PSA Sines no porto alentejano, nomeadamente o investimento, de que 2014 será marco, de cerca de 200 milhões de euros que será o total efectuado desde 2004, quando tomou posse da concessão. Ao mesmo tempo, garantiu que "o Governo se vai bater em Bruxelas e junto de Espanha e França para que o porto de Sines fique ligado a Madrid e Irun, e consequentemente, à Europa por via ferroviária em bitola UIC".
Depois de reconhecer  os bons resultados do porto de águas profundas, "que no último trimestre viu o crescimento da movimentação de contentores atingir os 20%", o primeiro-ministro considerou "importante o País estar no centro das grandes rotas comerciais marítimas", garantindo ainda que não só o porto de Sines como também os outros portos nacionais serão alvo de investimentos nos próximos tempos com vista à sua modernização.
Antes de Passos Coelho usou da palavra David Yang, CEO regional da PSA Europe and Mediterranean, que recordou a primeira escala do terminal, o navio MSC Christiana, "que não só transportou os primeiros contentores como também a esperança de quem acreditou no potencial  deste para se tornar um dos mais importantes portos do sul da Europa", e anunciou a chegada do sexto pórtico de STS (ship to shore) no fim deste ano de 2012 e três RTG,s (pórticos de parque) que se vêm juntar aos atuais 12, não concluindo sem sublinhar que o terminal "está agora preparadao para receber os futuros navios de 18 mil TEU".
Seguiu-se-lhe Lídia Sequeira, presidente do porto, enfatizando que "a parceria com a PSA, o maior operador do mundo de carga contentorizada, constitui uma garantia de suceso associando as condições naturais do porto de Sines e da sua envolvente e o know how de uma entidadeque acreditou no projeto e assumiu integralmenteo risco de construção e operação".  
Com esta empreitada, que passou a permitir a atracação simultânea de dois navios "megacarriers", a área do cais do terminal aumentou para 730 metros (380 da fase 1A que se juntam mais 350 desta fase 1B). Ainda em termos de área, o Terminal XXI aumenta também dos 13,3 hectares iniciais para os 24 hectares.
Em paralelo com a empreitada da PSA, a Administração do Porto de Sines tem em curso obras para a expansão do molhe leste da infraestrutura portuária. Num investimento de 40 milhões de euros, a obra deverá estar pronta no final deste primeiro semestre e envolve a construção de mais 400 metros do molhe, cuja extensão final será de 1.500 metros. Trata-se de uma obra considerada pela APS como fundamental para a "melhoria da acessibilidade marítima" ao Terminal XXI, ao garantir condições de abrigo e de operacionalidade, através do aumento da proteção marítima e da regularização dos fundos.
O contrato de concessão do Terminal XXI foi celebrado em setembro de 1999, entre a Administração do Porto de Sines e a PSA Sines (cuja empresa mãe é a Port of Singapore Authority), por um período de 30 anos.

Cargo news 1198

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA