Concessões portuárias renderam 59 milhões em 2010
As 32 concessões do sector portuário renderam ao Estado, no ano passado, 58,6 milhões de euros, sensivelmente o mesmo que em 2009. Sozinha, a TCL pagou 13,4 milhões de euros, o equivalente a 23% do total.

Os dados constam do relatório da Direcção-Geral de Tesouro e Finanças sobre as PPP e concessões, agora divulgado. Pouco ou muito, todas as concessões no sector portuário renderam dinheiro ao Estado no ano findo. E o previsto era que rendessem ainda mais: 62,2 milhões de euros.

Entre os vários concessionários, destacou-se a TCL, que detém o terminal de contentores de Leixões, o maior do país (em TEU movimentados). Seguiu-se-lhe a concessionária do terminal de granéis líquidos e gestão de resíduos de Sines, que pagou 7,7 milhões. O terminal de produtos petrolíferos de Leixões rendeu 6,6 milhões. A Sotagus, concessionária do terminal de contentores de Santa Apolónia, entregou 6,4 milhões.

O terminal multipurpose de Sines (4,3 milhões), o terminal de carga geral e granéis de Leixões (3,2 milhões) e o terminal multiusos zona 2 de Setúbal (3,1 milhões) seguiram-se no ranking das concessões mais rendíveis para o Estado.

Das 32 concessões, 22 cumpriram ou superaram o previsto para o exercício. Entre as que não o fizeram destacou-se a Liscont, concessionária do terminal de contentores de Alcântara, que pagou apenas 2,6 milhões dos sete milhões esperados.

Metade das portuárias mantiveram ou aumentaram o volume de receitas para o Estado.

NL APP 207

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA