Espanha: grandes portos tardam a recuperar tráfegos
Nos primeiros seis meses de 2010 o tráfego de portos espanhóis aumentou apenas 2,5% (207,1 milhões de toneladas). Um desempenho dececionante, se se levar em conta que o tráfego havia caído quase 17% durante o primeiro semestre de 2009.
Os números da “Puertos del Estado” revelam que os portos menores espanhóis tiveram um bom desempenho no primeiro semestre de 2010, ao contrário dos portos principais, que ainda esperam a retoma. São resultados que refletem a pouca dinâmica dos contentores, em contraste com o que se verifica no Ro-Ro e nos granéis sólidos.
Algeciras (foto), o principal porto espanhol, subiu 0,7% para 34,1 milhões de toneladas. Valência, número dois, teve um crescimento ligeiramente superior (+5,1% para 29,9 milhões de toneladas), mas Barcelona está parado (+0,4% para 20,8 milhões de toneladas), bem como Bilbao (+0,2% para 16 milhões de toneladas).
Quanto aos portos pequenos, o de Gijón cresceu 13,9% para 7,5 milhões de toneladas, o de Santander 11,4% para 2,4 milhões de toneladas, Málaga 18,8% para 1,2 milhões de toneladas, Avilés 28,2% para 2,4 Mt, Vigo 12,6% para 2,1 milhões de toneladas e Pasajes 23,3% para 1,9 milhões de toneladas.
As dificuldades dos principais portos (todos localizados mo Mediterrâneo) são um reflexo da evolução do tráfego de contentores. Apesar da Hanjin ter começado a operar em Algeciras no início de maio, este porto de transhipment estagnou (+0,8%, para os 1,48 milhões de teu). Em Valência, o aumento observado (9,4%, para os 1,97 milhões de teu) fica a dever-se à retoma do tráfego import-export (14,7%), enquanto que o transhipment decaiu ligeiramente (+6,8%, contra15,3% para os 12 meses de 2009). Barcelona subiu 3,3%, enquanto que Tarragona (+42,6% para quase 125 mil teu), confirma o seu arranque neste tipo de tráfego devido à chegada do operador DP World.

Cargo News 818

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA