Governo anula troço Sines-Grândola proposto pela REFER
O secretário de Estado dos Transportes anunciou hoje a anulação do troço ferroviário Sines-Grândola proposto pela REFER aos autarcas locais, tendo "assumido o compromisso" de estudar alternativas, revelou o presidente da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral.
"O Governo comunicou à Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) que o traçado iria ser anulado, que já estão a ser estudadas alternativas e que os autarcas da nossa sub-região vão ser ouvidos nessa matéria", disse à Lusa o presidente da CIMAL, Carlos Beato.
O também presidente da Câmara de Grândola (PS) considera esta "uma grande vitória dos autarcas da CIMAL, dos diversos agentes e das populações, que foram muito sensíveis sempre a esta matéria e envolveram-se e da REVER - Associação Protectora do Montado, Contra a Ferrovia Relvas Verdes-Grândola".
"Vemos esta decisão do Governo com muita satisfação e também pensamos que o Governo, que tantas vezes é acusado de intransigência e de não ser sensível aos argumentos que lhes apresentam sobre determinadas matérias, neste caso, esta nova equipa ministerial foi sensível", salientou.
Segundo a CIMAL, foi ainda garantido que as alternativas a ser estudadas, incluiriam a hipótese de aproveitamento do corredor existente em torno do actual ramal Sines-Ermidas, uma opção defendida pelos autarcas locais, pela REVER e por uma equipa do Instituto Superior Técnico liderada pelo professor Costa Lobo, que chegou a apresentar um estudo prévio de uma proposta alternativa.
O troço ferroviário em estudo faz parte da ligação ferroviária Sines-Elvas, vocacionada para o transporte de mercadorias, que é considerada uma infra-estrutura determinante para o "reforço da competitividade do Porto de Sines e para o desenvolvimento do Alentejo Litoral".

Cargo news 656

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA