Lisnave reparou quase 100 navios nos primeiros nove meses de 2009
Os navios reparados na Lisnave até Setembro, que ascenderam a um total de 92, pertencem a 50 empresas armadoras de 20 países. O país que mais navios reparou foi Singapura, com 15; a Alemanha, Grécia, Dinamarca e Noruega enviaram para os estaleiros de Setúbal nove cada um deles.
Entre os armadores que reconhecem a capacidade e know how dos estaleiros situados na foz do Sado, encontram-se a AET Shipmanagement (Singapura), a Unicom Management (Chipre), a Chemikalen Seatransport (Alemanha), a OSG (Grécia), a Carbonfin SPA e a Fratelli D'Amico (Itália), a BW Gas e a Kristian Gerhard Jebsen (Noruega) e a MOL Tankship e a V.Ships (Reino Unido).
Neste período foram efectuadas reparações de grande dimensão, como no caso das dragas Lange Wapper e Pearl River, os petroleiros Eco Europe e Genmar Horn, do navio roll-on/roll-off Lilleborg.
Destaque ainda para os trabalhos no petroleiro da PDV Marina, Negra Mattea, um dos quatro navios contratados com a Venezuela, que a Lisnave reparou, bem como dois navios da brasileira Petrobras.
A boa imagem da Lisnave aliada ao facto de a nossa costa ser das mais concorridas a nível mundial terão sido factores que levaram a MAN Diesel, fornecedora alemã de motores diesel para a marinha, a entrar directamente no mercado português, indo amanhã inaugurar em Setúbal um centro PrimeSer (reparação de motores e componentes).
A MAN Diesel foi fundada em 1840 e fabricou o primeiro motor a diesel do mundo. Tem 7800 trabalhadores em todo o mundo e facturou no ano passado 2,5 mil milhões de euros.
Cargo News 634

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA