Raquete ferroviária de Sines já foi consignada
Foi já consignada a empreitada de modernização da estação da Raquete de Sines, com vista à melhoria das condições de operacionalidade desta importante interface ferroviária, que já concentra o maior número de composições de mercadorias em Portugal (26 composições diárias). O novo layout da interface permitirá a gestão e triagem de um maior número de composições e de maior comprimento, em segurança e com alta capacidade de fluidez.
Com um custo global de 17,6 milhões de euros, a Refer pretende criar condições para responder ao crescimento previsto para o porto de Sines e para Zona Industrial e Logística de Sines, através do crescimento e modernização desta importante interface ferroviária.
A empreitada contempla a realização de trabalhos de construção civil, via e catenária para a materialização de um novo layout que contempla a construção de nove vias-férreas paralelas à linha existente no troço Ermidas-Sines, com uma extensão de cerca de oito quilómetros. Entre estudos e projectos (600 mil euros), empreitada geral de construção civil, via e catenária (6 milhões de euros), materiais de via (4,2 milhões de euros), sinalização, telecomunicações e convel (6,4 milhões de euros) e fiscalização (400 mil euros), o custo global da obra ficará em 17,6 milhões de euros.
Trata-se de um projecto da maior importância na aposta no transporte ferroviário que o porto de Sines tem imprimido, em parceria com os operadores de transporte e logísticos. Permitirá responder adequadamente às exigências dos novos investimentos de expansão do porto, com particular importância para o Terminal XXI, e às novas industrias que estão em processo de instalação na ZILS.

Cargo News 578

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA