Navios portugueses asseguram 4% do tráfego internacional dos portos
No ano passado, os portos nacionais movimentaram 83,9 milhões de toneladas. O tráfego internacional representou 75,5 milhões de toneladas. Os navios registados em Portugal transportaram apenas 4,4%.

Funchalense 5

Os números constam do relatório anual de 2015 sobre o transporte marítimo em Portugal, hoje divulgado pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT).

Considerando o movimento global de mercadorias, a marinha de comércio com registo português ocupa o segundo lugar no ranking, com uma quota de 11,3%. Ainda assim fica muito longe do registo número um, o suíço, com uma fatia de mercado de 20%. Em terceiro lugar surge  o Reino Unido, com um peso específico de 8%.

Olhando apenas para o tráfego internacional, que representou 90% do movimento de mercadorias nos portos nacionais, no ano passado, a porção assegurada pelos navios de registo português cai para menos de metade e fica-se pelos 4,4%.

A boa classificação é, assim, alavancada pelo domínio nacional no tráfego de cabotagem, que representou 8,4 milhões de toneladas (uma quebra face a 2014), 76,5% dos quais embarcados em navios portugueses.

No final do ano passado havia apenas dez navios de bandeira portuguesa em registo convencional, entre os quais oito porta-contentores afectos ao tráfego de cabotagem. Já no Registo Internacional de Navios da Madeira (RIN-MAR) contavam-se 280 navios de diversas tipologias, com destaque para os porta-contentores, com 46,1% do total (+92,5% face a 2014), seguindo-se os graneleiros, com 12,9% (+63,6%), e os de carga geral, com 9,6% (duplicando o seu número de registos no ano de 2015).

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA