Contentores: 1,3 milhões de TEU's até Junho, numa quebra de 1,8%

Quanto ao segmento de contentores, no primeiro semestre verificou-se um movimento de 1,3 milhões de TEU nos portos do continente, o que representou uma quebra de 1,8% face ao 1º semestre de 2015. Em Número, também se registou uma quebra de 3%.

Destaque neste segmento para o crescimento nos portos de Setúbal (42,2%), Leixões (9,7%) Figueira da Foz (4,8%) e Sines (2,4%), os quais foram contrapostos pela quebra acentuada no Porto de Lisboa, de 38,3%, a qual arrastou os números globais para o vermelho.

Também neste segmento, Sines vê reforçada a sua posição de líder com uma quota de 54,3% do total de 1,28 milhões de TEU, ganhando 0,4 pontos percentuais ao valor apurado no período de Janeiro a Maio.

Importa, ainda, sublinhar a relevância das operações de transhipment no Porto de Sines, que representam 78% do total da Carga Contentorizada movimentada, refletindo um crescimento de cerca de +15% face ao período homólogo de 2015.

Os primeiros seis meses de 2016 registaram 5361 (-1% face ao mesmo período de 2015) escalas de navios das diversas tipologias, incluindo os navios de cruzeiro, e uma arqueação bruta (GT) global de 94 milhões (+3,2% face ao período homólogo). Esta variação global do número de escalas resultou no acréscimo de +20,4% de Viana do Castelo, +0,7% de Leixões, +0,8% da Figueira da Foz, +13,1% de Setúbal e de +18,1% de Sines, o valor mais elevado de sempre deste porto nos períodos homólogos. Relativamente ao volume global de arqueação bruta, o valor registado nos primeiros seis meses de 2016 foi o mais elevado de sempre muito devido aos portos de Setúbal e Sines, que registaram variações de +7,1% e +22,7%, respetivamente.

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA