Carga geral cresce 6,3% com destaque para a subida de 12,4% nos contentores

Segundo os dados divulgados pela AMT, relacionados com a performance portuária dos portos portugueses entre Janeiro e Março de 2016, a carga geral foi o segmento de mercadoria mais movimentado (com 8.842.625 toneladas movimentadas em três meses), registando também o maior crescimento homólogo, fixado nos 6,3%. Nesse contexto sobressaiu-se a carga contentorizada, com 7.136.886 toneladas movimentadas, cuja performance registou uma subida de 12,4%.

Nesse aspecto, o Porto de Sines foi, inevitavelmente, o agente mais dinâmico e competitivo, movimentando 4.149.289 toneladas de carga contentorizada (cresceu, nesta tipologia, 25,2% face a Janeiro-Março de 2015), representando assim 58,1% da quota de contentores movimentados nos portos - esta quota é, de resto, a mais elevada neste segmento alguma vez alcançada pelo Porto de Sines.

Depois da carga geral seguem-se os granéis sólidos, com um crescimento de 4,9% (5.128.886 toneladas movimentadas), muito impulsionado pela excelente evolução do Carvão (1.745.761 toneladas, subida de 23,1%, a segunda mais acentuada nas tipologias de mercadorias). Sines foi, também aqui, de crucial importância, ao movimentar 1.611.596 toneladas desta tipologia de mercadoria (subida homóloga de 20,8%), responsabilizando-se assim por 92,3% da quota global do Carvão.

Nos granéis líquidos, com 7.728.247 toneladas movimentadas nos portos lusos entre Janeiro e Março de 2016, destaca-se a evolução significativa do Petróleo Bruto (3.900.370 toneladas, subida de 24,9%, a maior de todas as subidas nas tipologias de mercadoria), uma subida que, ainda assim, não impediu uma ligeira quebra neste segmento, situada nos 0,4%. Mais uma vez, Sines foi 'player' de referência, com uma quota de 77,3% na tipologia do Petróleo Bruto (3.017.693 toneladas movimentadas no porto alentejano, tradução de uma subida homóloga de 29,3%).

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA