Porto de Sines domina 52,2% da quota portuária até Março

No balanço final do primeiro trimestre de 2016, os portos nacionais movimentaram, em conjunto, cerca de 21,7 milhões de toneladas nos vários segmentos e variantes de tráfego, um número que inverte a tendência verificada em Fevereiro (descida da movimentação de mercadorias) e volta a colocar os portos lusos na rota dos melhores resultados de sempre, mantendo, como afirma a AMT no seu relatório trimestral, "o registo de melhor marca de sempre nos períodos homólogos", com um crescimento de 3,5% face aos primeiros três meses de 2015.

Como seria de esperar, a insuperável competitividade do Porto de Sines foi avassaladora, com o porto alentejano a ter uma quota global de 52,2% do movimento de mercadorias nos portos portugueses, sendo, de longe, o porto nacional que mais cresceu em termos de tonelagem face ao primeiro trimestre de 2015, com 11.332.001 toneladas movimentadas até Março do presente ano, facto que se traduz num crescimento de 13,4% face ao período homólogo de 2015. Na performance de Sines, a carga geral subiu 25,2%, os granéis líquidos 1,8% e os granéis sólidos 29,4% face ao período Janeiro-Março do ano transacto.

Foi pois, sem surpresa, que o Porto de Sines arrebatou, novamente, o papel de sustentação e impulsão dos registos efectuados pelos portos nacionais em 2016, dando um contributo absolutamente exponencial para o crescimento de 3,5% na movimentação de mercadorias em relação ao primeiro trimestre de 2015. Se novo recorde homólogo foi encetado (mais de 21 milhões de toneladas entre Janeiro e Março), é devido à capacidade funcional e atracção geoestratégica do Porto de Sines.

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA